Cervejaria do moinho e outras mais: onde tomar cerveja artesanal em Amsterdã

O primeiro lugar que eu recomendo para qualquer amigo que pede dicas sobre Amsterdã é a cervejaria que provavelmente te trouxe até esse post: a Brouwerij IJ, também descrita como a cervejaria do moinho. Um dos meus lugares favoritos na cidade e, curiosamente, não vive lotada de turistas.

Brouwerij IJ

Talvez por estar um pouco fora do roteiro turístico usual, ainda que somente a 10 minutos de bicicleta (ou 30 andando) da Amsterdam Centraal, a Brouwerij IJ se esconda um pouquinho dos turistas. Não que isso seja um problema: o local está sempre cheio, especialmente no verão.

Não tenha vergonha de sentar no chão e revezar a fila de quem busca a cerveja entre seus amigos. Aqui os funcionários só vão passar para buscar os copos antes que alguém os quebre e também para poder continuar servindo.

São surpreendentes 52 tipos de cerveja feitos no local, incluíndo algumas IPAs, bock, pilsen, trigo, ale e outras muitos. Entretanto… a grande maioria é feita somente em datas específicas. As garantidas de sempre são: Zatte, Natte, Ijwit, IPA e Columbus. A minha favorita, de longe, é a de trigo, Ijwit. Os preços variam entre €2.50 e €3.50.

Se você estiver com fome, há uma fila separada para comprar amendoim, queijo ou salame. Boa sorte com a faca, pois é você mesmo quem vai cortá-lo!

É importante levar em conta que a Brouwerij IJ só fica aberta até às 20h e última rodada é servida alguns minutos antes. Se você só quiser provar ou levar a cerveja de volta pra casa, também dá para comprar no próprio local a versão engarrafada, em muitos outros bares pela cidade (mas o preço quase duplica) e também na rede de supermercados Albert Heijn (só procurar o supermercado todo azul, é difícil não encontrá-lo!).

Endereço: Funenkade 7, 1018 AL Amsterdam, Netherlands
Horário de abertura: todos os dias das 14h às 20h, inclusive feriados.
Site: https://www.brouwerijhetij.nl/

De Prael

Existe algo especial na De Prael que vai além da cerveja. O local contrata pessoas que lidam ou lidaram com obstáculos para conseguir empregos em outros lugares. Eu fui trazido aqui por um chefe e só no dia seguinte ele comentou que muitos dos funcionários tem alguma deficiência mental. Funciona tão bem como qualquer outro estabelecimento e além disso, eles apoiam diversas causas sociais.

Se isso já não fosse razão suficiente para visitar a De Prael, você encontrará uma das melhores cervejas de Amsterdã, também feita no local. Durante o dia é possível fazer um tour pela cervejaria (a entrada para o tour é pela loja, na entrada lateral).

São onze cervejas no cardápio, além de duas artesanais. Os sabores se misturam entre tradicionais cervejas Belgas, Escocesas, Alemãs, entre outras conhecidas mundialmente. Você pode ver o menu completo aqui. As minhas favoritas são Milk Stout (baixa em alcohol, sabor maltado e feita, entre outros ingredientes, com lactose) e Bitterblond (um pouco amarga, mas com um sabor cítrico no final). A principal cerveja da casa porém, é a Tripel (com coriander, um pouco doce e apimentada).

O lugar está frequentemente cheio e é possível fazer reservas por telefone ou e-mail (pode se comunicar em inglês, sem problemas). Ao chegar, se o local estiver lotado, avise o staff que você espera por uma mesa. Caso contrário, é só sentar onde quiser. A comida aqui é muito boa, com vários pratos tradicionais holandeses e vem em porções generosas. Sempre há turistas, especialmente pela localização no meio do Red Light District (distrito da luz vermelha), mas a maioria dos clientes são moradores locais.

Se você quiser levar algumas garrafas para casa, vá direto na loja, mas atenção: ela fecha todo dias às 19h, enquanto o restaurante / cervejaria fica aberta até bem mais tarde. Dê uma corridinha de 50 metros para ir de um lugar ao outro.

Endereço: Oudezijds Armsteeg 13, 1012 GP Amsterdam, Netherlands
Horário de abertura: A partir do meio dia, com horário de fechamento variado (segunda-quarta, 0h – quinta-sábado, 1h e domingo, 23h).
Site: https://www.deprael.nl/en_GB/homepage/

Oedipus Brewing

A primeira vez que eu descobri as cervejas da Oedipus foi no supermercado. Os rótulos coloridos e os nomes das cervejas chamam a atenção: Mama (Pale Ale) e Thai Thai (Triple) foram as primeiras que eu provei.

Somente meses depois eu descobri que a Oedipus era uma cervejaria local, quase escondida em Amsterdam Noord (Amsterdã Norte). Você precisa pegar a balsa atrás da estação central (de graça) para chegar lá. O projeto começou em 2010, com quatro amigos fazendo cerveja e vendendo em festivais e feiras. Em 2013, eles conseguiram um crowdfunding de €100.000 para abrir a cervejaria em um lugar fixo, que começou a funcionar em 2015.

Na Oedipus também rolam eventos com música ao vivo, então vale a pena conferir no site deles o que tá rolando.

Endereço: Gedempt Hamerkanaal 85, 1021 KP Amsterdam, Netherlands
Horário de abertura: quinta-feira e domingo das 17h-22h. Sexta e sábado das 14h às 23h. Fechado de segunda à quarta.
Site: http://oedipus.com/

Ps: todas as cervejarias mencionadas nesse post oferecem tours privados a preços módicos (começando por €6,50) e as cervejas engarrafadas podem ser compradas na rede de supermercados Albert Heijn.

Read More

Como ir do aeroporto até o centro de Amsterdã em 20 minutos

Ao chegar em Amsterdã de avião, você não precisa se preocupar. O melhor jeito de ir do aeroporto para o centro ou para qualquer outra cidade da Holanda é pegar um trem. A estação fica dentro do próprio aeroporto!

Muitos trens cruzam diversos pontos da cidade, mas você paga pelo trajeto somente até onde descer. Por exemplo, uma passagem simples do aeroporto até Amsterdam Centraal custa 4,20€ + 1€ pela impressão. A viagem pode levar o mínimo de 20 minutos dependendo do trem e das paradas pelo caminho, que nunca são muitas.

As estações mais comuns onde rolam paradas antes do aeroporto são Amsterdam Zuid e Sloterdijk. O site da NS (em inglês) é o lugar oficial para saber dos horários, plataformas e paradas, mas ela é conectada em tempo real com o Google Maps se você achar mais fácil navegar por lá. O que acontece em casos raros são trens cancelados ou atrasados. Aí a informação demora um pouquinho para chegar no Maps.

Existem algumas opções para comprar uma passagem: direto nos terminais automáticos, no caixa ou até mesmo online. A segunda opção te cobra uma taxinha extra pelo serviço e a última remove o custo da impressão. Em todo caso, comprando com cartão de crédito ou qualquer cartão que não seja holandês, tem outros 0,50€ extras. Não se preocupe, você é avisado e precisa autorizar a taxa antes de completar a compra.

Se você for ficar por vários dias na Holanda, pode valer a pena comprar um OV-chipkaart (custa 7.50€, pagos só uma vez), que é o cartão de transporte público oficial e funciona em quase todo o país, tanto para o trem entre cidades, tram (também conhecido como trem elétrico), metrô e ônibus.

Também existem os cartões de transporte ilimitado:

Um é o Amsterdam Travel Ticket, que dá acesso a todos os transportes da cidade, inclusive ida e volta do aeroporto (entre 16€ e 26€ por 1, 2 ou 3 dias). O outro é o cartão da GVB, que da acesso a todos os transportes dentro da cidade (ônibus, tram e metrô) e tem opções entre 1 e 7 dias, começando em 7.50€ ao dia e com descontos progressivos. Você pode comprá-lo dentro do tram, em dinheiro.

Dependendo do quanto você planeje usar de transporte público e do quanto vai ficar na cidade, cada opção tem uma vantagem.

Coisas importantes de se lembrar:

  • Caso você precisa pegar um ônibus ao sair do trem: não é mais possível pagar com dinheiro nos ônibus da cidade, somente com cartão Maestro, cartões de transporte público ilimitado ou OV-chipkaart.
  • Ainda é possível pagar com dinheiro no tram (trens elétricos) em Amsterdã.
  • Sempre que pegar qualquer transporte público, é preciso validar o ticket na entrada e também na saída. Nas estações de trem as máquinas de check-in ficam fora dos trens e você pode usar qualquer uma. No metrô elas ficam na entrada da estação. Para trams e ônibus o check-in é feito ao entrar e sair do veículo.
  • Na noite de ano novo, os trens param por volta das 18h. Se você chegar na cidade nas últimas horas do ano, vai precisa pegar taxi ou Uber, que vai custar algo entre 30€-40€ dependendo de onde você for.

Lembre-se sempre de fazer check-in e check-out para não pagar multa e chegue rapidinho no centro da cidade!

Read More

Speculoos creme: biscoito doce holandês que virou creme para passar no pão

Um amigo turco que veio de Amsterdam me visitar no Brasil resolveu trazer de presente um estoque de stroopwafels. Também ganhei cervejas e um pote de speculoos pasta. Mesmo com uma certa experência de vida em Amsterdam, eu nunca tinha prestado atenção neste vidro de gordice tradicional da Holanda e Bélgica.

Resumindo: este é um biscoito (bolacha?) que se transformou em um creme para passar no pão. Ele é feito com farinha de trigo, xarope doce, canela e muitas outras coisas e tem um sabor doce incrível. Nos ingredientes do rótulo não encontrei muitos outros detalhes que me ajudem a explicar o sabor – embora a Wikipedia diga que “trata-se de uma mistura de canela (8 partes), noz moscada (2), cravinho (2), gengibre em pó (1), cardamomo (1) e pimenta branca (1)”. A Wiki também diz que é um produto tradicional natalino, mas ela é consumida e pode ser comprada durante o ano todo.

Não confio 100% na explicação, mas acredito no sabor. Essa é uma daquelas coisas que você pode misturar com qualquer “suporte” como bolachas, sorvete ou até um recheio de bolo (não vi ninguém fazendo, estas são sugestões da minha cabeça). Além do consumo com pão, nenhuma destas ideias foi aprovada ou sugerida por um holandês.

Eu só garanto que é uma especiaria famosa e tradicional deste países e podem ser comprada tanto em pasta (creme) como em biscoitos.

Speculoos Pasta
Comprado em: Amsterdam, Holanda
Preço: 2,24€ (400g)

Read More

De Hallen: cinema, feirinha e um incrível mercado de comidas

Este local é um dos queridinhos dos amsterdammers na região de oud-west da cidade. O De Hallen chegou a ser uma garagem de tram (aqueles trens elétricos pela cidade) e há pouco mais de dois anos se tornou em um complexo de arte, recheado de atividades.

Você pode descobrir tudo o que De Hallen oferece nesta página, porém vou contar somente sobre as atividades que eu conheço e são mais interessantes para quem visita a cidade: o imenso galpão com comidas de todo o mundo, o cinema e a feira de domingo.

FoodHallen

Talvez o local com a maior variedade de culinárias em Amsterdã. São ao menos 21 restaurantes, oferecendo comidas da Espanha, Itália, Holanda, Indonésia, Vietnã, Austrália, Estados Unidos. Tem hambúrguer, torta, sushi, hot-dog, bitterballen, sorvete, cervejas especiais, queijos e sobremesas de primeira classe. Muitas opções para vegetarianos e vegans também.

Food Hallen De Hallen

Food Hallen De Hallen Decoracao Eurocopa

De Hallen Shirkhan

O espaço é aberto e os pedidos são feitos e pagos diretamente em cada restaurante, porém todo o espaço de mesas é compartilhado. Às sextas e sábados, peça sem vergonha para usar espaço em uma mesa caso realmente deseje sentar para comer, pois será complicado achar um espaço.

Alguns lugares dizem “pin only” (somente com cartão), porém aceitam dinheiro também. Cartões de crédito são pouco aceitos por Amsterdã, então pergunte antes de fazer o seu pedido ou comprar em qualquer espaço do De Hallen.

FilmHallen

Por se tratar de um espaço dedicado à arte, os blockbusters quase sempre passam longe daqui. São salas de cinema pequenas e ainda que tenha alguns filmes de Hollywood, existe uma variedade bacana de filmes europeus alternativos. É um dos maiores cinemas de Amsterdã que aceita o Cineville, um passe de cinema que dá acesso livre a quantos filmes a pessoa quiser assistir.

De-Hallen-Filmhallen

Como normalmente em qualquer cinema por aqui, você pode acompanhar a sua sessão com um chá, café ou… cervejas. Lembre-se apenas de que as legendas dos filmes estarão em holandês, então verifique antes o idioma falado no filme. Nesta semana estão em cartaz: Eem Man Die Ove Heet, Elle, The Jungle Book, Money Monster, Me Before You e A Hologram for the king.

Local Goods

Sempre aos domingos, uma feira incomum acontece no Hallen. Somente com negócios locais, você encontra produtos desde alimentos (café frio, azeite, especiarias, cervejas), até lojas de roupas, joias, capinhas personalizadas de celular e presentes variados. Se você buscar um livro sobre Amsterdã, luminárias, arte, tábuas de cozinha ou moleskines personalizados, tem. Mas não espere por imãs de geladeira ou outras “lembrancinhas” da cidade.

De Hallen Local Goods

De Hallen Local Goods

De Hallen Local Goods Azeite

De Hallen Local Goods Galpão

Onde fica

De Hallen
Hannie Dankbaar Passage 33 (cruzamento com a Kinkerstraat)
1053 RT Amsterdam

Read More

Stroopwafel: do que é feito e onde comprar o melhor doce da Holanda

Este post é parte da série de comidas locais que você pode experimentar e levar na mala de volta para casa. Experimente e leve presentinhos econômicos (mas especiais) para o Brasil.

A Holanda tem pouco de culinária local, de acordo com a maioria dos holandeses que me apresentaram o básico da cultura do país quando cheguei aqui. O equivalente do nosso arroz com feijão é purê de batatas com vegetais e carne. Mas tem um doce tradicional que me deixou com uma ótima impressão do país antes mesmo de chegar aqui: os stroopwafels.

stroopwafel-holanda

Quem me apresentou essa belezinha foi um amigo holandês, quando ambos morávamos em Buenos Aires. Minha paixão foi tanta que, após comer 3 deles na sequencia, percebi que era melhor racionar para fazer a alegria durar mais.

O sabor e onde comprar

Stroopwafels são bolachões bem finos, recheados com caramelo. Tem um toque de canela também e um certo estilo para ser consumido: coloque-o em cima de uma xícara de chá quente e deixe por alguns segundos até o caramelo do meio derreter.

Em pacotes com 10 ou 12, existem muitas marcas e qualidades diferentes. A melhor opção entre preço e qualidade é o do Albert Heijn, a maior rede de supermercados do país, onde custa cerca de 1€ o pacote. Quando voltei para o Brasil pela primeira vez após me mudar para cá, levei 10 pacotes na mala! A embalagem é bacana, mais barato que souvenir, o sabor é ótimo e muito parte da cultura Dutch.

E no Brasil?

Atualmente é possível encontrar stroopwafels também em diversos lugares no Brasil. Já encontrei na rede de supermercados Pão de Açúcar e também em algumas padarias chiques por São Paulo e no interior do estado. Ainda tem Holambra, estância turística com forte relação com a Holanda, onde também existem empresas que vendem e distribuem o produto.

Stroopwafels
Comprado em: Amsterdam
Preço: a partir de 1,00€

Read More

Temperatura em Amsterdã: guia básico

Chegando em Amsterdã? Traga seu guarda chuva, porque a chance de chover é quase sempre grande. Ela vem em cerca de 185 dias por ano, mesmo seja só um pouquinho de água do céu, durante a madrugada. Por isso, planejar minuciosamente sobre a chuva e a temperatura em Amsterdã é uma ótima ideia para aproveitar sua visita.

Estações do ano

Na Europa a estações são sempre contrárias as do Brasil por conta da localização dos países no globo. As datas de mudanças são as mesmas pelo mundo inteiro:

  • Se na Holanda é primavera, no Brasil é outono
  • Se na Holanda é inverno, no Brasil é verão
  • Se na Holanda é outono, no Brasil é primavera
  • Se na Holanda é verão, no Brasil é inverno
  • Inverno começa em: 22 de dezembro
  • Primavera começa em: 20 de março
  • Verão começa em: 21 de junho
  • Outono começa em: 22 de setembro

No Brasil você já deve ter morrido de calor depois que outono ou até o inverno começou, por exemplo. Aqui a situação é similar: em 2016 demorou para a primavera de fato chegar. O calor começou no final de abril e durante o mês de maio a minima é de 6º em alguns dias. Tempo louco!

Dias e noites longas

Além da temperatura que muda constantemente, existe outra vantagem (e desvantagem) dos países europeus mais próximos dos extremidades do planeta. Por conta da posição do sol, cada época do ano tem dias ou noites mais longos. Em alguns lugares do Brasil nós só sentimos essa diferença por conta do horário de verão, mas aqui é mais impactante.

No verão, tem sol até às 10 da noite. Há muito perdi a conta de quantas vezes descobri que era tarde demais para ir ao supermercado (que geralmente fecham às 22h) após dar um pulinho no bar ou um piquenique no parque. Como pode estar tudo fechado se ainda é dia? Enfim aprendi, mas de vez em quando ainda escapa.

vondelpark-primaveira-noite
Acredite se quiser: essa foto foi tirada às 21h, durante a primavera

No inverno é preciso força para não se deixar deprimir pelo tempo. Em dezembro, a luz do sol aparece depois das 8h e vai embora já por volta das 16h. A primeira sensação é todo mundo decidiu sair de casa de madrugada. No fim do dia, sinto que esqueci da hora e já é hora de dormir.

gelo-dezembro-amsterdam
Na sacada de casa, em dezembro em 2015, a água virou gelo

A alegria por um pouquinho de sol é tão grande ao ponto de as pessoas tirarem dias de folga quando a previsão aponta que fará calor em determinado dia na semana que virá. E tem gente curtindo parque igual brasileiro na praia. Sem camisa e de biquíni. Também tem bares com praia de mentira, mas essa história é para outro post.

Nos dias de virada de estação acontecem também os solstícios. Em teoria, dia 21 de junho é o dia mais com mais luz do sol no ano e 21 de dezembro é o que tem mais noite, embora a cada ano esse evento pode acontecer em outros dias próximos a estes.

Neve

Se a sua viagem obrigatoriamente incluí ver neve, comece a acompanhar a previsão do tempo. Em Amsterdã, em alguns anos neva, em outros não. Em 2015, lagos nos parques tiveram uma fina camada de gelo, mas fácil de ser quebrada (mais ou menos como na foto acima).

Em 2016 houve um pouco de neve janeiro e fevereiro. E por alguns minutos, em 3 diferentes dias, em plena primavera:

É primavera, mas esta caindo gelo do céu em Amsterdã. Que cidade mais louca.

A video posted by Gustavo Pelogia (@gustavopelogia) on

Já no ano de 2012, os canais congelaram tanto que dava até para esquiar neles:

Apps

Incontáveis são os dias em que pedalei na chuva em Amsterdã. Até que certa vez, quando chegava ao festival Lowlands, um amigo disse que deveríamos correr e montar as barracas em 20 minutos, antes da chuva começar. Fiquei intrigado com a precisão dele e então descobri um app chamado Buienradar.

Além de ter te dar a previsão do tempo para os próximos dias, nele é possível checar a previsão de chuva para as próximas 3 horas. Com isso, é possível optar por transporte público ou esperar alguns minutos até a chuva diminuir, sabendo que ela deve desaparecer em determinado tempo. Para quem deseja ser ainda mais específico, da ainda para saber a força e a direção do vento (que pode transformar o ato de pedalar uma grande batalha).

Outra opção mais popular é o próprio Google Now, porém o Buienradar é mais preciso quando você precisa saber sobre uma mudança no clima para a próxima hora. O app só funciona na Holanda e é atualizado em tempo real. Às vezes, uma chuva esperada pode de repente desaparecer do mapa. É de graça e está disponível para Android, iOS, Windows Phone e BlackBerry.

Em todos os casos: tenha sempre uma capa ou seu guarda-chuva!


Read More

Leidseplein: parada básica e diversão garantida em Amsterdam

Leidseplein - Praça
Sempre que recebo perguntas sobre “o que visitar na cidade”, a Leidseplein é o primeiro ponto que sugiro para todo visitante. Tem um pouco de tudo, tem sempre algo acontecendo e é fácil de chegar, considerando que nenhum turista está hospedado muito longe do centro.

Localizada no bairro de Grachtengordel, a Leidseplein tem vida diária e noturna. Confira abaixo algumas das atrações presentes na praça. No futuro, a maioria delas ganhará posts completos aqui no brasileiros.amsterdam:

Melkweg

Aberto nos anos 70, a casa de shows/clube recebe festas e shows de diversos estilos, incluindo artistas holandeses e internacionais. Alguns dos nomes recentes que passaram pela casa ou que vem em 2016 são Julian Casablancas, Eagles of Death Metal, Sum 41 e até O Rappa esteve aqui em 2015.

Entre as festas, desde o bombado Encore (hiphop) até a 90’s Now, com tudo o que fez sucesso na época. O Melkweg funciona dia e noite e tem dois salões, então vários eventos podem acontecer na mesma data. Também rolam peças de teatro e festivais de cinema. O site deles é melkweg.nl.

Leidseplein - Melkweg

The Waterhole

Se você procura apenas um pub com cara de balada e não quer gastar muito dinheiro, The Waterhole é um destino interessante. A entrada custa 2€ e você pode deixar todas as suas jaquetas na chapelaria na entrada (se estiver frio, é uma alegria só entrar em um bar e não ter que se preocupar em onde vai deixar sua roupa). Tem sempre promoções de drinks e as cervejas mais comuns (algumas poucas especiais). Todos os dias tem bandas ao vivo, a grande maioria covers, além de algumas mesas de bilhar. Você recebe um carimbo na entrada, então pode sair e voltar no mesmo dia (se resolver ir para outro bar próximo, por exemplo).

Leidseplein - Placas
A Leidseplein fica próxima de diversos outros locais interessantes de Amsterdã como o Vondelpark e a Museumplein (onde ficam as letras gigantes do I amsterdam)

Restaurantes & Comida Rápida

Ao redor da Leidseplein são muitos os restaurantes. Também podem ser irritantes os funcionários na porta de cada um com um menu na mão e te convidando para entrar, assim que não se sinta forçado. Entre as opções estão restaurantes italianos, argentinos, holandeses e “coma a vontade” de costelas de boi. Não tenho nenhum restaurante em especial para indicar, mas são muitas as opções. Durante o dia você também pode dar um pulo na loja da Magnum e criar seu próprio sorvete.

Além disso, em Amsterdam são poucos os lugares que você vai encontrar comida durante a madrugada. Depois do horários dos restaurantes (~23h) você ainda encontra Burger King, Febo (comida na parade!), pizza, McDonalds, wok, hambúrguer e batata frita na praça ou ao redor dela.

Lojas

Ainda que não seja uma área forte de compras da cidade, em volta da Leidseplein você também vai encontrar uma H&M (são muitas por Amsterdam) e a Apple Store, com uma loja imensa de dois andares. 5 minutos fora da praça tem também uma grande loja da Bever, especializada em roupas e acessórios para para neve e acampamento.

Paradiso

Quer mais shows e vida noturna? A primeira vista você pode não perceber que encontrou esta casa de shows, já que por fora se trata de uma antiga igreja. Há um salão principal para até 1500 pessoas e outras sala para até 250 pessoas e shows menores. De fato o local foi igreja até 1965 e aberta como casa de shows em 1968. Realiza shows de diversos gêneros musicais e já recebeu nomes como Adele, The Rolling Stones, Duran Duran, Nirvana, Dave Matthews, Jamiroquai e muitos outros. Em 2016, estão agendados shows como Ben Harper e algumas datas da festa “Kill All Hipsters”.

Leidseplein - Paradiso Frente

Leidseplein - Paradiso Posteres

Coffee Shop

Claro que um dos principais pontos da vida noturna de Amsterdam teria também um coffee shop. Uma das sucursais do Bulldog está na praça. Escutei de amigos que a loja não tem os funcionários mais amáveis, porém tem uma grande vantagem dos outros coffee shops: funciona junto de um bar, então é possível pedir bebidas nas mesas de fora (em geral, nenhum coffee shop pode vender álcool).

Leidseplein - Bulldog

Stadsschouwburg

Este nome complicado acima é o teatro da cidade de Amsterdam. Além de peças em holandês, também oferece apresentações de teatro com dança, que não precisam conhecimento específico em idiomas.

Read More

5 curiosidades para entender a Holanda

Apesar de ser um país pequenino, a Holanda consegue embaralhar muita cabeça quando se fala de nome, idioma e território. As cinco curiosidades abaixo explicam muitas das perguntas mais comuns sobre a Holanda:

Nome do país
A gente chama da Holanda, mas o nome de verdade é “Países Baixos”. Acontece que os dois principais estados do país são a Holanda do Norte (onde fica Amsterdã) e a Holanda do Sul (onde fica Roterdã). Ainda assim, a área total dos dois estados é de menos de 5% do país. Nestes dois estados estão 6 dos 16 milhões de moradores do país.

Acontece o mesmo em espanhol, com os nomes Holanda e Paises Bajos. Também em inglês, com Holland e Netherlands. No fim das contas, a confusão é tão grande que ambos os nomes são aceitos e usados por estrangeiros e holandeses. Os próprios neerlandeses torcem para a seleção de futebol gritando “Hup Holland Hup” ao invés de Nederland.

Rainha da Holanda
Quando vim a Amsterdã pela primeira vez, ainda morava na Argentina. E justo nessa época a Holanda (ou Países Baixos) era assunto constante na mídia em Buenos Aires. O motivo: uma argentina estava para ser coroada rainha. Da Holanda. Koningin Máxima se casou com o príncipe holandês Willem-Alexander Claus George Ferdinand em abril de 2013.

rei-rainha-holanda
Rei Willem-Alexander e rainha Máxima em abril de 2013. Foto: Koos Breukel

Reino da Holanda
A Holanda fica Europa. E a Holanda também é parte do Reino dos Países Baixos (Koningin Máxima), que incluí as ilhas de Aruba, Curaçao e São Martinho, localizadas no Caribe (America Central). As três são oficialmente países independentes, porém parte do mesmo reino e totalizam uma população pouco acima de 300 mil habitantes. Para deixar um pouco mais confuso, estas três ilhas também tem suas moedas próprias: o Florim Arubano e Florim das Antilhas Neerlandesas, ainda que o dólar também seja amplamente aceito.

Na América do Sul também se fala holandês
Este foi uma grande surpresa pra mim e só descobri depois de ficar amigo de um Amsterdammer. O Suriname, faz fronteira com o Brasil (nos estados do Pará e Amapá) e com a Guiana e Guiana Francesa, ao norte da America do Sul. Lá também se fala holandês como idioma oficial e como a Holanda, é um país pequenino, o menor da região.

google-maps-suriname

Pouco antes de que o Suriname se tornasse independente, em 1975 (sim, há 41 anos!), grande parte da população emigrou para a Holanda. Com isso, há uma grande presença surinamesa na cidade. Eu descobri essa presença por conta dos muitos restaurantes surinameses pela cidade e também por dos meus melhores amigos aqui ter mãe surinamesa e pai holandês. Assim, se você quiser descobrir algo incomum para os turistas em Amsterdã, sugiro ir a um restaurante surinamês!

Idioma
Se você já teve contato com muitos estrangeiros, é provável que tenha escutado que nossa língua é o “brasileiro”, ou mesmo que falamos espanhol. E nos Países Baixos se fala… Bem, também é complicado. Em Português, você pode dizer que a lingua da Holanda é o holandês. Ou neerlandês. Já em Inglês, se diz Dutch, o que já vi ser confundido com Duits, a linga da Alemanha (em alemão).

E se você ainda não se perdeu, tem mais: na província de Frísia, no norte do país, ainda se fala Frísio, por cerca 2,50% da população. Ainda tem mais da metade da Bélgica, que fala uma variação de holandês, chamada de Flamengo (Vlaams). Tem outro nome, mas é quase igual, com sotaque diferente.

Água que virou terra
O nome Países Baixos vai de encontro com o fato de que grande parte do país era água. Sofrendo muito com enchentes que causaram desastres e mortes ao longo da história, o país tem diques e controla a água que o cerca. Essa era a função dos moinhos de vento: levar água de um lugar para outro.

Hoje em dia, uma porção de 7000 m², cerca de 16% do país foi criado após remoção das água que ocupava as áreas. A estação central de Amsterdã também foi feita onde antes era água. Por volta de 60% da população vive abaixo do nível do mar!

 

Read More